A teoria subjacente aos mapas conceituais e como elaborá-los e usá-los

Joseph D. Novak, Alberto J. Cañas

Resumo

Este texto apresenta a origem da ferramenta de mapas conceituais e descreve brevemente o início do seu desenvolvimento. Apresentam-se algumas das ideias da Teoria da Assimilação de Ausubel (1963, 1968) que serviram como base para a criação dos mapas conceituais, destacando-se a importância da assimilação de novos conceitos e proposições na estrutura cognitiva prévia do aprendiz para a construção de significados. Apresentam-se ainda as bases epistemológicas dessa teoria de aprendizagem cognitiva, incluindo-se a ideia de que a produção criativa de um novo conhecimento pode ser entendida como um nível bastante avançado de aprendizagem significativa, processo que pode ser facilitado pela utilização de mapas conceituais. Busca-se ilustrar a larga variedade das ferramentas disponíveis no programa gratuito CmapTools, cujas várias aplicações incluem o auxílio ao desenvolvimento da aprendizagem significativa e do currículo, a captura e retenção de conhecimento especializado tácito e explícito e o fortalecimento da produção criativa. O uso do programa CmapTools, de fontes da internet e de outros recursos digitais prepara um poderoso Novo Modelo de Educação, levando à criação de portfólios de conhecimento individual, capazes de registrar a aprendizagem significativa e embasar qualquer futura aprendizagem afim. O programa CmapTools oferece ainda amplo suporte para colaboração, bem como para a publicação e compartilhamento de modelos de conhecimento.

 (NOVAK; CAÑAS, 2010, v. 5, p. 9)

Leia o artigo completo em: https://www.revistas2.uepg.br/index.php/praxiseducativa/article/view/1298/944

Referência:

NOVAK, Joseph D.,; CAÑAS, Alberto J. Cañas. A teoria subjacente aos mapas conceituais e como elaborá-los e usá-los. Práxis Educativa, Ponta Grossa, ano 2010, v. 5, n. 1, p. 9-29, 1 jun. 2010. Disponível em: https://www.revistas2.uepg.br/index.php/praxiseducativa/article/view/1298/944. Acesso em: 18 out. 2019.

* Os textos, vídeos e áudios publicados são de inteira responsabilidade dos autores e não refletem, necessariamente, a opinião da Cesu. *