Projeções e perspectivas da internacionalização “pós-crise”

Por Osvaldo Succi Jr.

Os conferencistas convidados foram Hans de Wit (Boston College/USA), especialista em internacionalização nos cursos superiores; Jocelyne Gacel-Ávila (Universidad de Guadalajara/México), coordenadora do Observatório Regional de Internacionalización de Redes de Educación Terciaria (OBIRET); e Marcelo Knobel, reitor da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e vice-presidente regional da OUI para o Brasil.

Succi resume algumas das perspectivas e projeções discutidas no webinar, que conectou quase 200 pessoas. “A movimentação física de alunos e professores mudou radicalmente nos últimos meses, e no futuro imediato, deveremos ter novos cenários para os intercâmbios acadêmicos”. Isso ocorre devido às restrições físicas de mobilidade, no contexto da pandemia de coronavírus.

Neste momento , o intercâmbio virtual (virtual exchange, em inglês) é uma alternativa de internacionalização em casa (internationalization at home, em inglês).

No Centro Paula Souza, os intercâmbios virtuais são conhecidos como Projetos Colaborativos Internacionais (PCIs) e têm uma importante contribuição a oferecer para a profissionalização internacional dos estudantes das Fatecs. “Devido às restrições financeiras, os países em desenvolvimento demonstravam mais empolgação com as possibilidades dos PCIs, agora, acredito que mesmo os países “desenvolvidos” passarão a ver esta modalidade como uma ótima opção”, observa Succi.

FOTO: Captura da tela do Webinar que apresenta os conferencistas
Osvaldo Succi Jr. é coordenador dos Projetos Colaborativos Internacionais (PCI/CESU), participou em 15 de abril de 2020 do webinar “Proyecciones y perspectivas de la internacionalización de la Educación Superior’”, promovido pela Organização Universitária Interamericana (OUI).