VEm 8 traz depoimento da vice-diretora-superintendente do CPS sobre a importância dos Projetos Colaborativos Internacionais

A oitava edição de VEm, newsletter dos Projetos Colaborativos Internacionais, conta com a participação da vice-diretora-superintendente do CPS, Emilena Lorenzon Bianco. Em depoimento enviado a VEm no dia 18 de agosto, Emilena destaca que “ampliar a representatividade internacional é um objetivo estratégico do Centro Paula Souza”. Ressalta, ainda, que os PCIs ampliam a escalabilidade da oferta de experiências internacionais para os estudantes.

Na seção “Boas Práticas”, Maira Rezende (Fatec Sorocaba) comenta que organização do tempo é essencial para o bom planejamento de um PCI. Experiente em PCIs, Maira realizou um projeto com Patricio Marabolí (INACAP/Chile), abordando soluções alternativas para reciclagem de resíduos da indústria extrativista de minérios.

E, por falar em organização do tempo, esse é o principal desafio apontado por alunos participantes de PCIs no primeiro semestre de 2021, conforme pesquisa de percepção finalizada em 30 de julho. A síntese dos principais dados saiu na página 4 da VEm 8.

Leia todas as edições anteriores de VEm

O que são os PCIs

Os Projetos Colaborativos Internacionais (PCIs) da Cesu (Unidade de Ensino Superior de Graduação do Centro Paula Souza) são também chamados de Intercâmbios Virtuais (Virtual Exchange), COIL (Collaborative Online International Learning), EDGE (Experiential Digital Global Experience), GLE (Global Learning Experience) ou módulos híbridos. Nas Fatecs do Centro Paula Souza, utiliza-se a nomenclatura PCI. Tendo como base a educação global para a cidadania e a Internacionalização em Casa, os PCIs possibilitam que alunos das Fatecs e seus parceiros internacionais elaborem atividades alinhadas com determinadas disciplinas, enquanto desenvolvem suas habilidades digitais, linguísticas, interculturais e de trabalho em equipe.